Yellena James

Como fonte de inspiração, o trabalho dela é realmente incrível! Adoro as cores, formas, como tudo fica bem distribuído, o movimento e a sensação que transmite para o observador, ou seja, uma ótima composição. Sou fã do trabalho dela e acompanho o blog para ver as novidades, por isso o tamanho do post… foi difícil selecionar só algumas imagens…

I try to create new shapes based on what I imagine to exist within the unseen world around us, and attempt to suggest movements in my designs that we’re not accustom to seeing in our everyday lives, to sort-of pass that spark of inspiration on to others as they complete the movements within their own minds.

{Quem é}

Nasceu em Sarajevo (Bósnia e Herzegovina), onde viveu até o fim da guerra civil em 1995. Durante esse período, frequentou uma escola de artes, as pessoas criavam para sair do mundo horrível que estava lá fora. Depois de se mudar para Orlando (USA), formou-se em design gráfico pela UCF e atualmente vive em Portland, com seu marido, que é músico, e seus dois gatos Masha (good kitty) e Fisher (bad kitty).

{Inspiração}

Vem do desejo de colocar algo na sua frente e querer olhar novamente. A inspiração está em tudo: trabalhos de outros artistas, livros, blogs de design, catálogos, o marido, a irmã, amigos, vintage patterns, canetas de ponta fina, feltro, criaturas das profundezas do mar, Julie Mehretu, música, cactos, musgos, papel de parede, micro-cosmo, macro-cosmo, cristais, plantas, animais, o universo…

O mundo microscópico é uma coisa que definitivamente a intriga, adora descobrir formas estranhas de vida, plantas, cogumelo, criaturas marinhas, etc. Eles despertam a imaginação e inspiram a inventar sua própria flora e fauna. Ela cria a partir do que imagina existir no mundo invisível que está ao nosso redor, produzindo um movimento que não estamos acostumados a ver, o que desperta a nossa imaginação, fazendo com que possamos completar esse movimento com nossas próprias ideias.

{Materiais}

Gosta de usar canetas, tintas e marcadores. Ama trabalhar com acrílica e nesse caso prefere usar um painél de madeira, para ter um controle maior sobre os contornos.

{Leitura}

Um livro que ela gostou muito foi “The turning point” de April Kingsley. É uma coleção de entrevistas sobre Expressionismo abstrato e a que achou mais inspiradora foi a entrevista de Robert Motherwell’s.

{Influências}

Adora a fluidez, complexidade e perspectiva no trabalho de Julie Mehretu ou Matthew Ritchie,0 os mundos sombrios de Jeff Soto e o colorido nas paisagens microscópicas de Jacob Magraw. Entretanto, a maior influência, é provavelmente a mãe natureza… ou as partes que ela tenta esconder.

{Processo}

Seus desenhos e pinturas nunca são planejados, apenas começa com um elemento e continua construindo em cima dele e ao redor dele. Não usa qualquer referência ou sketches, não sabe em que parte vai terminar ou como vai ficar, o que dá mais liberdade para criar. Durante o processo pensa sobre equilíbrio e composição e como conectar todos os elementos. Apesar do trabalho começar muito livre, o resultado final parece controlado e calculado.


Traduzido e editado das seguintes entrevistas:

Etsy de 2007 ♣ reubenmiller de 2009

Veja mais sobre ela aqui:

blogsite ♦ etsyfacebooktwitter ♦ flickr

Anúncios

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s