Gruta de São Miguel – Bonito

O primeiro passeio que fizemos foi para a Gruta de São Miguel e Gruta do Lago Azul. Essas duas grutas são próximas e apesar de termos visitado no mesmo dia, vou dividir em 2 posts por causa da quantidade de fotos.

Enquanto esperávamos o horário pudemos ver algumas araras vermelhas de perto. São lindas demais!

_DSC6352.jpg

_DSC6353.jpg

_DSC6355.jpg

Antes de ir para a trilha, o guia passou algumas orientações sobre a visita e entregou capacete e lanterna. Estávamos em um grupo de 12 pessoas mais ou menos e o guia acompanha o grupo por todo o passeio.

20171024_091257.jpg

20171024_091313.jpg

20171024_091917.jpg

20171024_094022.jpg

A gruta possui iluminação artificial e tem estalactites e estalagmites, inclusive em formação. O trajeto é bem tranquilo e foi uma visita rápida, porém encantadora. Alguns animais que podem ser encontrados lá são coruja e morcego, vimos apenas alguns morcegos de perto.

20171024_095304.jpg

20171024_095403.jpg

20171024_095106.jpg

20171024_095031.jpg

Morceguinho

20171024_100302.jpg

20171024_095838.jpg

20171024_095509.jpg

20171024_095921.jpg

20171024_095858.jpg

20171024_100538.jpg

Conhecendo Bonito-MS

Outubro de 2017 - Bonito-MS – Viagem de férias

Fiquei tão maravilhada com tudo o que vi, que não poderia deixar de registrar aqui e compartilhar essa experiência. Ter esse contato com a natureza, conhecer o Cerrado e ver os animais bem de perto foi uma experiência incrível e inesquecível. Começo com algumas informações de como chegar, hotel e alimentação, vou contar sobre cada um dos passeios que fizemos em posts futuros.

Como chegar

Fomos de avião de São Paulo para Campo Grande, cerca de 1h40 e pegamos o transfer até Bonito que leva cerca de 4hs com uma parada. Na ida paramos na cidade de Nioaque para almoçar e na volta foi uma parada mais rápida na cidade de Sidrolândia. Achamos mais cansativo pra ir porque o trajeto foi feito de van, mas na volta fizemos de ônibus, bem mais confortável.

Hospedagem

Ficamos hospedados no Hotel Wetiga, ótima infraestrutura e atendimento. Café da manhã com muitas opções, o quarto é bem confortável e com varanda e pudemos aproveitar a piscina depois dos passeios. Muito gostoso acordar ouvindo uma variedade de cantos de pássaros.

20171025_190909

Continuar lendo

Passeio pela Vila industrial Maria Zélia

Em Setembro fui conhecer a Vila industrial Maria Zélia, um passeio organizado pelo Centro Cultural da Juventude (CCJ). Logo que chegamos na vila, fomos recepcionados por um farto café da manhã no armazém. Durante o café, Seu Dedé, um morador antigo e que conhece muito bem a história da vila, contou um pouco pra gente num relato emocionante.

A vila foi inaugurada em 1917 e começou a ser construída em 1912 pelo médico e industrial Jorge Street, para abrigar os 2500 funcionários que trabalhavam na fábrica de tecelagem Cia Nacional de Tecidos da Juta. O nome da vila é em homenagem a jovem Maria Zélia Street, filha de Jorge Street, falecida quando a vila ainda estava sendo construída.

DSC_0012DSC_00102014-09-28 12.01.35

Depois do café fomos conhecer a vila. Quando construída, funcionava uma capela, dois armazéns, duas escolas (meninos e meninas separado), um coreto, praça, campo de prática esportiva, salão de festas e ainda ambulatórios e consultórios médicos. Hoje, é difícil conseguir restaurar esses locais e muitos estão em ruínas.

Continuar lendo

Exposição Música & Cinema: O Casamento do Século?

2014-11-22 18.23.59

Não sei se Trilha sonora de filmes é considerado um gênero musical, mas é esse o meu preferido. Adoro procurar a trilha depois de ver um filme, quando a música fica na cabeça ou quando ouço uma música e lembro da cena do filme. Pra mim é impossível ouvir a música I Dreamed a dream do musical Os miseráveis e não ficar emocionada e sempre que ouço as músicas do filme Drive, dá vontade de assistir o filme de novo. A música dá o ritmo certo para a cena e influencia nossa percepção, é como apreciar uma obra de arte quando a cena e música estão em sintonia.

2014-12-30 13.18.47

2014-12-30 13.23.58

Visitar a exposição Música & Cinema: O Casamento do Século? que fica no Sesc Pinheiros até dia 11 de Janeiro, superou as minhas expectativas. Não achei que teria muita coisa pra ver e que seria uma visita rápida, com esse pensamento fui em um dia que teria pouco tempo para ver. Depois de 1 hora ouvindo trechos de músicas, vendo cartazes, aberturas de filmes, lendo comentários, partituras, etc, descobri uma outra sala cheia de documentários, mesas interativas e também uma sala de mixagem, mas tive que ir embora com a vontade de voltar. E voltei em outro dia para ficar mais cinco horas para poder ver toda a exposição e valeu cada minuto, saí feliz.

2014-12-30 13.12.362014-12-30 17.02.27

Adorei ver como foi o começo, na transição do cinema mudo pro falado, a dificuldade em gravar a fala dos atores e a música ao mesmo tempo. Nas mesas interativas, poder visualizar uma cena e ver o efeito de diferentes composições para essa cena, alternando entre a música do filme e uma rejeitada. Ver que uma música serve para diversas cenas e passa sensações diferentes. Poder conhecer um pouco da criação da música do filme Tubarão e ver a partitura da música do Poderoso Chefão. Além da importância da parceria do diretor e do compositor, ver como é difícil conciliar as duas coisas, as diversas maneiras de trabalhar e como o entrosamento entre diretor e compositor é tão importante, eles tem que estar em sintonia pro filme funcionar e que algumas parcerias dão tão certo que continuam em muitos filmes.

2014-12-30 16.19.12

Música & Cinema: O Casamento do Século?
Sesc Pinheiros – Espaço Expositivo (2º andar)
Rua Pais Leme, 195 – Pinheiros
Gratuito até 11/01