1ª MACLI – Mostra de Arte Contemporânea em Literatura Infantil

Sábado (08/02) pude conferir a 1ª Mostra de Arte Contemporânea em Literatura Infantil. Possui 70 obras de 6 ilustradores nacionais e internacionais, que utilizam variadas técnicas, de xilogravura a desenho digital. A Mostra transpõe as ilustrações das páginas de livros infantis para os quadros nas paredes da mostra, tornando-os obra de arte. Trazendo um novo olhar para cada uma delas.
A exposição vai até o próximo domingo (16/02). 

2014-02-08 16.57.38Foto: Bianca Giglio

No livro infantil, podemos verificar que a imagem cumpre uma função na página, dialogando com outros elementos, formando uma unidade. Na mostra, temos um olhar diferente, vemos a imagem isolada, como obra de arte. Nas duas situações a imagem cumpre papéis diferentes, mas um não desmerece o outro, são apenas olhares diferentes.

Os trabalhos que mais chamaram minha atenção foram os dos seguintes ilustradores:

{Fernando Vilela}

serie-simba-o-marujo-1
Livro "Simbá, o marujo", imagem retirada do site www.macli.com.br

Nos livros Caçada, Lampião & Lancelote e Simbá, o marujo, utiliza uma técnica mista de carimbos de madeira e borracha com pintura a nanquim, aplicado com canetas, pincéis e sopros do próprio ilustrador. As cores foram muito bem utilizadas, são poucas e cumprem bem a sua função. A textura produzida pelo carimbo …

www.fernandovilela.com.br

{Juliana Bollini}

serie-lobo-esta-sem-titulo
Imagem retirada do site www.macli.com.br

A artista criou um estilo próprio, utilizando sucata e papel, como matérias primas principais para a criação de esculturas. Geralmente, depois são fotografadas para a conclusão de um formato final. Na exposição podemos ver alguns bonecos e algumas montagens, a sobreposição e a tridimensionalidade trazem uma profundidade de campo à composição interessante.

julianabollini.blogspot.com.br

{Renato Moriconi}

   serie-telefone-sem-fio-6-obras-sem-titulos-02Livro "Telefone sem fio", imagem retirada do site www.macli.com.br

Para o livro-imagem Telefone sem fio, o ilustrador utilizou a técnica de óleo sobre madeira. Na mostra, as ilustrações foram posicionadas lado a lado, na sequência que aparecem no livro, dispostas em 3 paredes. Pelo fato de estarmos rodeados pelas ilustrações, podemos ter a sensação de entrar dentro do livro ao observar as ilustrações.

www.moriconi.com.br

  • No trabalho que realizei para a conclusão da pós-graduação, com o tema sobre análise de livros infantis, analisei 3 livros infantis selecionados pelo FNLIJ, e verifiquei as características de cada livro. Entre eles estava o livro O alvo, também ilustrado por Moriconi.

1ª MACLI – Mostra de Arte Contemporânea em Literatura Infantil

Local: CAIXA Cultural São Paulo, São Paulo, SP

de 14 de dezembro de 2013 a 16 de fevereiro de 2014

DE 3ª FEIRA A DOMINGO, DAS 9H ÀS 19H

ENTRADA FRANCA

CAIXA Cultural São Paulo | Galeria Humberto Betetto
Praça da Sé, 111, São Paulo – SP
Tel: (11) 3321-4400
www.caixa.gov.br/caixacultural

Fontes: MACLI • Cosac Naify

Anúncios

Ilustra Brasil 7

Já está rolando o Ilustra Brasil 7, até dia 11 de setembro tem palestras e oficinas sobre ilustração, confira aqui a programação do evento. Todas as atividades são gratuitas, mas é necessário fazer inscrição no site do senac. O evento acontece no Senac Lapa Scipião, na Casa do Artista Major Sertório e na Casa do Artista Jardins. Vale a pena também ver a exposição, são cem trabalhos de artistas na galeria do Senac, com ideias, técnicas e estilos diferentes.

Na segunda (16/08) assisti a palestra do ilustrador Mario Bag, ele contou sobre as dificuldades no início de sua carreira, mostrou e comentou trabalhos com capas de disco, publicações como a Ciência Hoje das Crianças e muitos outros.

Falou das técnicas que utilizava, como o aerógrafo e depois a arte digital. Suas influências (principalmente dos quadrinhos), como era a situação do mercado, das dificuldades em encontrar referência para os trabalhos, além de situações inusitadas com clientes e artistas.

Fonte: IlustraBrasil 7, fotos

Matisse hoje

3897187599_1f0212afbd

Matisse hoje… mesmo, a exposição na Pinacoteca sobre Matisse foi prorrogada só até o dia de hoje (02/11), fui há algumas semanas, mas só agora consegui parar para contar como foi.

Portrait_of_Henri_Matisse_1933_May_20Henri Matisse (1869-1954)

Pintor francês, que abusou da intensidade das cores em seus quadros, alegres, vivos e com muito contraste. Entretanto, o público do Salão de Outono de 1905, ficou escandalizado, não só com o colorido, mas com o lugar que as cores foram usadas, conta-se que uma assistente da exposição disse indignada à Matisse que não existe uma mulher com nariz amarelo, o pintor então explicou que não era uma mulher, é um quadro!  O crítico Louis Vauxcelles classificou Henri Matisse e seus colegas como fauves, ou seja, feras, um termo pejorativo, querendo dizer selvagem, o que não agradou muito os artistas, que a partir de então, passaram a fazer parte do que hoje chamamos de Fauvismo.

Nos trabalhos de Matisse, além das cores, destacam-se também os desenhos sintéticos, que simplificam ao máximo a imagem, quase um símbolo; suas colagens com recortes de papéis pintados com guache e a capela de Vence, que durante 4 anos, Matisse trabalhou em praticamente todos os detalhes, elaborou os planos de construção, desenhou os vitrais, as cerâmicas e objetos rituais. Nos vitrais, a difusão da luz faz com que as cores que entram no interior da capela mudem conforme o período do dia, se misturam e iluminam.

Decidi guardar para mim os tormentos e as inquietudes para não expressar mais do que a beleza do mundo e a alegria de pintar.

Henri Matisse

A exposiçãoDSC00453

Fui em um sábado, vi apenas uma sala, lá tinha biografia, alguns trabalhos, fotos e um espaço para exibição de vídeo, eram 2 documentários, um sobre a vida e obra e outro exclusivamente sobre o projeto da capela de Vence.

DSC00452

Pesquisando depois, percebi que não vi toda a exposição, uma pena, eram na verdade 7 salas divididas entre os temas “Paisagens iniciais”, “ Naturezas mortas”, “Mulheres nos interiores, odaliscas”, “O gabinete de artes gráficas” e “Papéis recortados”.

DSC00449

Esse vídeo da foto aí de cima, mostrava ele desenhando e com a câmera lenta, conseguíamos ver os movimentos que ele fazia, antes de encostar o lápis no papel, muito legal!

Veja o vídeo que eu achei (mostra melhor o que foi a exposição, além de mostrar mais coisas)

pesquisei no papo de artistaColeção Folha

Banksy Versus Bristol Museum

Banksy, artista de rua conhecido pelos graffitis e stencils geralmente agressivos e sarcásticos, reúne mais de 100 peças na exposição “Banksy versus Bristol Museum” em Bristol, no Reino Unido.


O título da exposição – “Banksy versus Bristol Museum” – caracteriza bem a natureza anti-establishment do artista, revelando também a dualidade de critérios e da aceitação da arte de rua, que normalmente não entra em museus.

Inaugurada no passado dia 13 de junho, a mostra estará no Bristol City Museum and Art Gallery até 31 de agosto e contém uma centena de peças do artista, 70 das quais inéditos, entre pinturas, instalações, espaços com animatronics (marionetas e bonecos animados por robótica) e peças sensoriais.

via Zupi

O vídeo a seguir mostra o que é a exposição, a opinião de algumas pessoas, o Banksy desenvolvendo algumas coisas,  basicamente divulgando a exposição.

Esse outro, mostra o que está na exposição, para quem não vai poder ver de perto… dá pra ter uma noção.


Mais Banksy

1000 minutos

A mostra já passou por Pequim, Florença, Lisboa e Bruxelas; fica no MASP até 29 de março, depois segue para África do Sul e Egito.

A mostra no MASP conta com destaques como a Mostra Brasil, exclusiva para o Museu e com sala separada, é composta de 60 vídeos-minuto e 10 vídeos nanominutos (até 10 segundos), de realizadores brasileiros que participam do festival desde a primeira edição.

Outro destaque é uma seleção de 60 vídeos-minuto para serem projetados do teto para o chão do MASP.

Sobre o Festival do Minuto

O Festival Mundial do Minuto Brasil acontece desde 1991, selecionando e exibindo vídeos de até 60 segundos, de amadores e profissionais. A partir do final de 2007, tornou-se permanente e online, ou seja, passou a receber vídeos diretamente pela internet, lançando temas e premiando vídeos mensalmente.

É um grande revelador de talentos do audiovisual brasileiro. O acervo do festival inclui vídeos de inúmeros realizadores que hoje são conhecidos pela produção de longas-metragens, como os diretores Fernando Meirelles (Cidade de Deus, O Jardineiro Fiel), Beto Brant (O Invasor), Tata Amaral (Um Céu de Estrelas, Antônia) e Fernando Bonassi (Os Matadores).

MASP
Endereço: Av. Paulista, 1.578 – Cerqueira César – São Paulo – SP.
Horário: terça-feira a domingo e feriados, das 11h às 18h; quinta até 20h. A bilheteria fecha uma hora antes.
Ingresso: R$ 15 (inteira) e R$ 7 (estudante), gratuito às terças-feiras e diariamente para menores de 10 anos e maiores de 60 anos.

mais informações:
maspFestival do minutoMinute Planet