As cores em Breaking Bad

1255042491-jesse-pinkman-aaron-paul-e-walter-white-bryan-cranston-produzem-o-crystal-meth-azul-na-serie-breakin

Breaking Bad é uma série que terminou na 5ª temporada em Setembro de 2013 e apesar de muito elogiada, a sinopse não me despertou interesse, a princípio. Mas decidi assistir entre Dezembro e Janeiro, no intervalo de Walking Dead. E confesso que depois de alguns episódios é inevitável, é viciante.

A série foi criada e produzida por Vince Gilligan, que por participar da produção, acredito que foi de extrema importância para os detalhes que valorizam a série. Os acontecimentos estão todos amarrados, nada foi colocado por acaso ou simplesmente para a série se prolongar. A trilha sonora acompanha os acontecimentos de forma sincronizada. Os detalhes de posicionamento de câmera percebidos em algumas cenas valorizam a história e a utilização das cores é precisa.

As cores foram utilizadas intencionalmente, tanto para compor os cenários, quanto no figurino dos personagens, para representar a fase dos personagens em determinadas cenas. As designers responsáveis pelo figurino dos personagens foram Kathleen Detoro e Jennifer L. Bryan. As cores estão presentes inclusive nos sobrenomes dos personagens principais: White e Pinkman.

O significado das cores varia de pessoa pra pessoa de acordo com a cultura local. Mas o interessante é verificar a mudança de cores em cada personagem e perceber que teve uma preocupação com esse detalhe visual, que se diferencia de acordo com o temperamento do personagem ou se altera devido algum fator emotivo. O designer gráfico John LaRue criou um infográfico que traz uma paleta de cada personagem durante todas as temporadas:

Print

O autor do infográfico escreveu um post falando sobre a repercussão do infográfico e alguns comentários adicionais aqui, vale a pena conferir.

O próprio Vince Gilligan falou da intenção no uso das cores numa entrevista para a revista GQ, em agosto de 2013:

We did this in microcosm in the pilot episode: for instance in the pilot, it was intentional that Walt start off very beige and khaki-ish, very milquetoast, and he would progress through that one hour of television to green and thus show his process of evolution as a character. We started to do that in macrocosm throughout particular series: we’d start Walt for example one year in red and take him to black. The one character we did not do that with was Marie, who stayed very consistent in her colour palette: she would always wear purple, to the extent of being quite monomaniacal about it. But there’s quite a number of man hours spent discussing colour usage, and assigning colours to different characters and thinking in those terms.

Fiquei sabendo dessa utilização das cores na série através desse Nerd office.

Outros links de referência: Breaking Bad Wiki • tdylf • Folow the colours • GQ

Matisse hoje

3897187599_1f0212afbd

Matisse hoje… mesmo, a exposição na Pinacoteca sobre Matisse foi prorrogada só até o dia de hoje (02/11), fui há algumas semanas, mas só agora consegui parar para contar como foi.

Portrait_of_Henri_Matisse_1933_May_20Henri Matisse (1869-1954)

Pintor francês, que abusou da intensidade das cores em seus quadros, alegres, vivos e com muito contraste. Entretanto, o público do Salão de Outono de 1905, ficou escandalizado, não só com o colorido, mas com o lugar que as cores foram usadas, conta-se que uma assistente da exposição disse indignada à Matisse que não existe uma mulher com nariz amarelo, o pintor então explicou que não era uma mulher, é um quadro!  O crítico Louis Vauxcelles classificou Henri Matisse e seus colegas como fauves, ou seja, feras, um termo pejorativo, querendo dizer selvagem, o que não agradou muito os artistas, que a partir de então, passaram a fazer parte do que hoje chamamos de Fauvismo.

Nos trabalhos de Matisse, além das cores, destacam-se também os desenhos sintéticos, que simplificam ao máximo a imagem, quase um símbolo; suas colagens com recortes de papéis pintados com guache e a capela de Vence, que durante 4 anos, Matisse trabalhou em praticamente todos os detalhes, elaborou os planos de construção, desenhou os vitrais, as cerâmicas e objetos rituais. Nos vitrais, a difusão da luz faz com que as cores que entram no interior da capela mudem conforme o período do dia, se misturam e iluminam.

Decidi guardar para mim os tormentos e as inquietudes para não expressar mais do que a beleza do mundo e a alegria de pintar.

Henri Matisse

A exposiçãoDSC00453

Fui em um sábado, vi apenas uma sala, lá tinha biografia, alguns trabalhos, fotos e um espaço para exibição de vídeo, eram 2 documentários, um sobre a vida e obra e outro exclusivamente sobre o projeto da capela de Vence.

DSC00452

Pesquisando depois, percebi que não vi toda a exposição, uma pena, eram na verdade 7 salas divididas entre os temas “Paisagens iniciais”, “ Naturezas mortas”, “Mulheres nos interiores, odaliscas”, “O gabinete de artes gráficas” e “Papéis recortados”.

DSC00449

Esse vídeo da foto aí de cima, mostrava ele desenhando e com a câmera lenta, conseguíamos ver os movimentos que ele fazia, antes de encostar o lápis no papel, muito legal!

Veja o vídeo que eu achei (mostra melhor o que foi a exposição, além de mostrar mais coisas)

pesquisei no papo de artistaColeção Folha