Jan Svankmajer

Apesar de não ter assistido a todos os trabalhos do diretor e roteirista tcheco Jan Svankmajer (1934), gostei bastante dos que vi. O primeiro que assisti foi Alice (Něco z Alenky – de 1988) e fiquei impressionada, muito se fala da Alice de Tim Burton, mas não encontro muita coisa sobre a versão de Svankmajer. Pra quem está acostumado com a versão da disney, pode se espantar com essa representação da obra de Lewis Carrol, talvez pelo aspecto um pouco sombrio (sendo que alguns o consideram até bizarro e perturbador), acaba não agradando a maioria.

{Stop-motion}

Utiliza o recurso de animação em stop-motion em quase todas as suas obras (se não todas), com bonecos, esculturas de massa, objetos e também pessoas. Lembro de um curta chamado Food (Jídlo – de 1992) que é um ótimo exemplo dessa mistura de elementos, vale a pena também pela crítica social relacionando ao modo que comemos.

{Som}

Outra coisa que merece destaque é a sonoplastia, que se adequa perfeitamente a composição, transmitindo sensações que apenas as imagens não seriam capazes de produzir.

{Surrealismo}

O surrealismo, que está sempre presente em seus trabalhos, influenciou principalmente Tim Burton, Terry Gilliam e The Brothers Quay.

O blog masmorra erotica publicou um podcast sobre o diretor, que você pode conferir aqui, você também encontra a Filmografia de Jan Svankmajer nesse mesmo link.

site oficial ♦ entrevista revista vertigo

Mary and Max

Mary and max

A animação longa-metragem (Mary and Max, 2009), que utiliza a técnica de stop-motion, é escrita e dirigida por Adam Elliot.

Sinopse

A australiana Mary Daisy Dinkle, 8 anos, escreve uma carta para fazer amizade e tirar uma dúvida com um desconhecido de uma página aleatória na lista telefônica. Essa carta chega para o nova-iorquino Max Jerry Horowitz, 44 anos. Além da carta, ele recebe também alguns desenhos, uma barra de chocolate e a dúvida: “de onde vêm os bebês nos Estados Unidos”. Apesar das muitas diferenças entre eles, como cultural e de idade, descobrem várias coisas em comum e a inocente correspondência acaba mudando a vida de ambos.

A trilha sonora instrumental é ótima. O visual é muito bom também, quando aparece a Mary, tudo está em sépia e quando é o Max, tons de cinza, com algumas exceções para detalhes em vermelho.

Veja o trailer oficial legendado abaixo:

Veja mais no site oficial

Peter and the wolf

O curta em stop-motion é uma releitura da história “Pedro e o Lobo”, produzido pela BreakThru Films e direção de Suzie Templeton.

A história infantil foi escrita em 1936, pelo compositor russo Sergei Prokofiev. Ele escreveu a história e compôs as músicas, com o objetivo de ensinar para as crianças a sonoridade dos instrumentos musicais. Cada personagem é representado na história por um instrumento diferente.

Veja a primeira parte:

Site oficial