Marco zero e Catedral da Sé {Minha SP}

Apesar de não serem lugares que costumo ir com frequência, o Marco Zero e a Catedral da Sé fazem parte do centro histórico da cidade e com certeza qualquer paulistano já passou lá ou sabe onde fica. Vou falar um pouquinho da história e da importância desses lugares para a cidade.

O Marco Zero

Na era colonial, os paulistas se orientavam na indicação de distâncias pela porta do templo que havia no então “largo da Sé”, antes da construção da catedral. Por isso o local foi escolhido para fixar o ponto central de partida da quilometragem das rodovias e ferrovias, da numeração das ruas e das linhas telefônicas, além de marcar definitivamente o centro oficial da capital paulista. Até então, as estradas-troncos tinham seus marcos iniciais localizados em diferentes pontos da capital, o que gerava enorme confusão.

_DSC5417

No centro de uma rosa dos ventos no chão da praça, está o Marco Zero, um bloco hexagonal de mármore extraído de uma jazida do município de Cachoeira Paulista, implantado numa plataforma com dois degraus de granito com uma placa em bronze mostrando as saídas de São Paulo. As faces mostram símbolos representando seis localidades brasileiras para as quais o marco está voltado: Paraná – pinheiro; Rio de Janeiro – Pão de Açúcar e bananeira; Minas Gerais – material de mineração; Goiás – batéia; Mato Grosso – atributos do bandeirante; Santos – navio.

Catedral da Sé - São Paulo

A Catedral

Em 1591, o cacique Tibiriçá escolheu o terreno para a contrução do primeiro templo da cidade, que foi construído em taipa de pilão (parede feita de barro e palha socados, estruturados em toras). Em 1745, foi construída uma segunda matriz da Sé no local da que existia. Ao lado dela, em meados do século XIII, levantou-se a Igreja de São Pedro da Pedra. Um tempo depois, os dois templos foram demolidos para dar espaço ao alargamento da Praça da Sé e à versão atual da catedral.

A Catedral como conhecemos hoje, foi projetada pelo arquiteto alemão Maximillian Hehl, professor de Arquitetura da Escola Politécnica. Com uma bela arquitetura basicamente neogótica e por possuir a cúpula de inspiração renascentista enquadra-se no ecletismo. Foi inaugurada em 25 de janeiro de 1954, em comemoração aos 400 anos da cidade, 41 anos após o início da construção, ainda sem as duas torres principais. Passou por uma reforma de 1999 a 2002, pois a estrutura do prédio começou a apresentar riscos aos frequentadores. Após as obras, ganhou 14 torres laterais que estavam previstas no projeto original e os vitrais, as obras de artes, as portas, o carrilhão de sinos e as portas ficaram como novos. Hoje, ela tem capacidade para mais de 8 mil pessoas e possui 16 torres (que chegam a atingir 97 metros de altura).

Catedral da Sé - São Paulo

_DSC5372

Catedral da Sé - São Paulo

Não deixe de ver na Catedral

  • Vitrais – São 54 vitrais, entre eles nacionais executados pela Casa Conrado e europeus feitos por artistas como Quentim, Avenali, Fontana e Max Ingrand. A ornamentação usa motivos da fauna e flora brasileira, como o tatu, o tucano e o cacau.
  • Órgão – Um enorme e impressionante órgão italiano com mais de dez mil tubos.
  • Cripta – Encontra-se abaixo do altar principal, onde estão sepultados os bispos e arcebispos de São Paulo, além de figuras históricas da cidade como o Cacique Tibiriçá (primeiro cidadão de Piratininga) e o padre Feijó (Regente do Império).

Catedral da Sé - São Paulo

Catedral da Sé - São Paulo

Linha do tempo

  • 1591: o cacique Tibiriçá escolhe o terreno para o primeiro templo da cidade.
  • 1745: a “velha Sé”, como era chamada, foi elevada à categoria de catedral. Por isso, neste mesmo ano, iniciou-se a edificação da segunda matriz da Sé.
  • 1911: demolição dos dois templos para dar espaço ao alargamento da Praça da Sé e, finalmente, à versão atual da catedral.
  • 1912: catedral da Sé projetada pelo arquiteto alemão Maximillian Hehl.
  • 1913: início da construção da Catedral da Sé.
  • 1919: inaugurada cripta com trinta câmaras mortuárias.
  • 1934: inaugurado o marco zero em 18 de setembro na praça da Sé.
  • 1954: inaugurada a Catedral da Sé.
  • 1999 a 2002: reforma na Catedral.
  • 2007: Marco Zero é tombado pelo patrimônio histórico, por meio de uma resolução do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo.

Catedral da Sé - São Paulo

Catedral da Sé - São Paulo

Localização
Praça da Sé, s/n. Centro.
Melhor forma de chegar: metrô – estação Sé.
As visitas são abertas ao público e acontecem no período da manhã, entre às 09h às 11h30 e, no período da tarde, entre às 13h às 16h30. O custo é de R$ 5.

Fontes: [1] [2] [3] [4] [5]
Anúncios

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s